segunda-feira, 27 de março de 2017


Canção de Outono - Cecília Meireles



Perdoa-me, folha seca
Não posso cuidar de ti
Vim para amar neste mundo
E até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
Pelas areias do chão
 
Se havia gente dormindo
 
Sobre o próprio coração?

E não pude levantá-la
Choro pelo que não fiz
E pela minha fraqueza
É que sou triste e infeliz
Perdoa-me, folha seca
Meus olhos sem força estão
Velando e rogando a aqueles
 
Que não se levantarão...

Tu és a folha de outono
 
Voante pelo jardim
Deixo-te a minha saudade
- A melhor parte de mim
Certa de que tudo é vão
Que tudo é menos que o vento
Menos que as folhas do chão...


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A INVEJA, RUBEM ALVES


http://naomordamaca.com

Gosto de tomates. Resolvi plantar uns tomateiros lá em Pocinhas do Rio Verde (MG). Amadureceu o primeiro tomate, todo vermelho, com exceção de um pontinho preto na casca. Nem liguei para o ponto preto. Colhi o tomate e me preparei para comê-lo. Dei a primeira dentada e cuspi. O que havia dentro dele era um verme branco, grande, enrugado, gordo por haver comido toda a polpa do tomate.
Foi essa a imagem que me veio à memória quando me preparava para falar sobre o mais terrível de todos os demônios. Ninguém suspeita. Ele vai comendo por dentro as coisas boas que crescem no nosso quintal. Eu sempre digo: demônios fazem ninhos no corpo. Cada um tem sua preferência. Neste caso a que me refiro, o demônio faz seu ninho nos olhos. E ele não gosta de coisas ruins e feias. Como o verme, ele prefere os tomates. Gosta de coisas bonitas. E o resultado é que, quando uma coisa bonita que cresce no nosso quintal (note bem: o demônio só faz sua obra no nosso quintal) é tocada pelo olho onde mora o verme ela imediatamente murcha, apodrece, cai. E aí vêm as moscas.
O demônio que se aloja nos olhos se chama inveja. Inveja vem do latim invidere que, segundo o dicionário Webster, quer dizer “olhar pelos cantos dos olhos”. Inveja não olha de frente. Quem olha de frente tem prazer no que vê. Quem olha de lado olha com olho mau.Olho mau, olho gordo: muita gente tem medo desse olhar. Não precisa. O verme da inveja nunca faz nada com os tomates da horta alheia. Ele só come os tomates da horta da gente.
Explico: Fernando Pessoa diz que a inveja “dá movimento aos olhos”. Olho de inveja não olha numa direção só. Lembre-se do que eu disse: que o olho onde se aninha o verme da inveja só gosta de ver coisas bonitas. Então é assim que acontece.
Eu tenho um belo tomate crescendo no meu quintal. É certo que não há vermes dentro dele. Vai dar uma deliciosa salada. Mas antes, vou mostrar o meu tomate para meu vizinho… Um pouco de exibicionismo faz bem para o ego. Mas aí eu olho para o quintal do vizinho. Ele também cultiva tomates. Vejo o tomate que cresce no tomateiro dele. Lindo! Vermelhíssimo, mais bonito que o meu. É nesta hora que o verme entra no meu olho. Meus olhos se movimentam. Voltam-se para o meu tomate que era minha alegria e orgulho. Já não é mais. Vejo-o agora mirrado, pequeno murcho. E ele corresponde: apodrece repentinamente e cai… Perdi o prazer da minha salada.
Esse movimento dos olhos é a maldição da comparação. Quando eu comparo o meu ‘bom-bom-mesmo-mais-que-suficiente-para-me-fazer-feliz” com o “bom” maior do outro, fico infeliz. E o que antes me dava felicidade passa a me dar infelicidade. Com a comparação tem início a infelicidade humana. Isso acontece com tudo. Comparo minha casa, meu carro, minhas roupas, meu corpo, minha inteligência e até mesmo meu filho.
Frequentemente os filhos são vítimas no jogo de inveja dos seus pais. Aquele meu filho, que é a minha alegria, delícia de criança, com um jeitinho só dele e que me encanta… Mas o filho do vizinho tira notas mais altas que o meu, é campeão de natação, é mais forte, mais alto e não é gordinho… Então, meu olho se movimenta e o verme se aninha. E se dá o mesmo com meu tomate: apodrece.
______________
Por: Rubem Alves
 Texto publicado na Revista Psique, em  maio de 2009 – Via: Ou isto ou aquilo

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O homem do céu - Irmão Yun

https://backtojerusalem.com/home/a-true-love-story-by-brother-yun/

"Já completamos vinte anos de casados. Nosso relacionamento está longe de ser perfeito, mas posso afirmar com sinceridade que melhora a casa ano. Deling é minha melhor amiga. Há vinte anos ele era apenas uma garota quando eu lhe disse:
- Deus me escolheu para ser testemunha Dele e segui-lo pelo caminho da cruz através de grandes sofrimentos. Não tenho dinheiro, e as autoridades me perseguem o tempo todo. Você quer mesmo se casar comigo?
- Jamais abandonarei você. Vou me unir a você e serviremos ao Senhor juntos, respondeu ela." p. 329


"Não somos chamados para viver segundo o raciocínio humano. Só o que importa é obedecer à Palavra de Deus e à orientação Dele para nossa vida. Se Ele mandar ir, iremos. Se disser para ficar, ficaremos. A vontade Dele é o lugar mais seguro deste mundo" p. 330

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

"Os que sofrem não são os que estão presos por causa de Jesus, mas aqueles que nunca desfrutam da intimidade da presença de Deus" Irmão Yun - O homem do céu

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

QUANDO UMA MULHER SE SUJEITA A SER AMANTE DE UM HOMEM CASADO

http://folhassecas.zip.net/images/chaoduro.jpg
"Então você acha que ele não ama a mulher dele só porque saiu contigo? Engano seu, ninguém é obrigado a ficar casado por causa da mulher, filhos ou dinheiro. Ele que pague uma pensão e peça guarda compartilhada e vá viver só ou com quem quiser. Se ele gosta tanto de você que é amante, por que você passa o aniversário dele, fins de semana, feriadão, as férias, o carnaval, a páscoa, dia das mães, dia dos pais, dia dos namorados, são João, dia das crianças, natal , réveillon... entre outras datas importantes sozinha? Que poder é esse seu na cama que não te garantiu uma aliança na vida ou no dedo ainda? Ou se garantiu, as famílias e a sociedade desconhecem essa união oficial! Talvez você acha que fazer uma merda de sexo, dentro de um carro, em menos de 1 hora de motel, às escondidas, ou transar pra ele é algo que prenda sentimento.Sexo é necessidade fisiológica, é como fazer coco e xixi, sexo se faz com qualquer coisa, até sozinho, inclusive com você. Amor se faz com alguém escolhido para amar.Ta rindo porque ela é corna? Ok, tudo bem. É corna mas dorme com ele todos os dias, dirige o carro dele, ele dirige o carro dela, frequenta a casa da família dele e ele da família dela, viajam juntos, tem sonhos, tem problemas, tem alegrias, tristezas, mas enfrentam juntos, um dando força pra o outro, a mulher que ele escolheu para amar é corna mas tem prioridade em tudo que ele faz, é corna mas quem faz ele dormir no sofá quando mandado é ela! E depois ele vem todo obediente fazendo tudo que ela mandar.E você? Você é apenas um deposito de espermas da necessidade fisiológica de um homem casado tem de fazer sexo com qualquer coisa, inclusive com você, e você coitada fica aí toda feliz quando um homem sem auto estima e mal resolvido resolve te chamar de linda e dizer que te ama, mentindo na cara dura pra você dar pra ele. Aprenda: um homem ou mulher trai sim. Trai por insegurança, por carência, por vingança, por raiva, por necessidade fisiológica. Mas amor, cumplicidade, dedicação de verdade ... Ahhhh, isso você não tira do marido de ninguém!" SE VALORIZE MULHER, O AMOR PRÓPRIO É O PRIMEIRO DE TODOS OS AMORES, QUEM VIVE DE MIGALHAS É POMBO OU FORMIGA

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Humano demais


Eu fico tentando compreender
O que nos Teus olhos pôde ver
Aquela mulher na multidão
Que já condenada acreditou
Que ainda havia o que fazer
Que ainda restara algum valor
E ao se prender em Teu olhar
Por certo haveria de vencer
E assim fizeste a vida
Retornar aos olhos dela
E quem antes condenava
Se percebe pecador
Teu amor desconcertante
Força que conserta o mundo
Eu confesso não saber compreender

Sou humano demais pra compreender
Humano demais pra entender
Este jeito que escolheste de amar, quem não merece
Sou humano demais pra compreender
Humano demais pra entender, que aqueles que escolheste
E tomaste pela mão geralmente eu não os quero do meu lado

Eu fico surpreso ao ver-te assim
Trocando os santos por Zaqueu
E tantos doutores por Simão
Alguns sacerdotes por Mateus
E, mesmo na cruz, em meio à dor
Um gesto revela quem Tu és
Te tornas amigo do ladrão
Só pra lhe roubar o coração
E assim foste o contrário,
O avesso do avesso
E por mais que eu me esforce
Não sei bem se Te conheço
Tu enxergas o profundo
Eu insisto em ver a margem
Quando vês o coração

Eu vejo a imagem

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A dor azul (Adriana Falcão)

https://lackof.files.wordpress.com
A menina sentia uma dor azul, todos os dias, ali pelas cinco horas da tarde.
Não era uma dor grandona de puxar o choro pra fora. Era só uma dorzinha. Mas era bem azulona. Achavam que era maluquice. "Dor não tem cor!"
Mas como a dor azul não passava, começaram a achar que ela doía mesmo.
Levaram a menina para todos os médicos do mundo, fizeram todos os exames que existiam, e ninguém descobriu o que era aquilo. Procuraram então um psicólogo e é claro que achou que aquilo era psicológico.
A dor azul não queria nem saber. Ia e vinha. Sempre na mesma hora.
Os anos foram passando e o azul da dor continuava colorindo as tardes da menina. Só as tardes.
De manhã ela sentia uma saudade lilás. E à noite, um desejo prata que ela não sabia bem de quê.
A menina cresceu. E um dia conheceu um rapaz que sentia uma vontade violeta de espirrar nas manhãs nubladas.
Eles se gostaram, um gostar laranja que foi se avermelhando sem parar, até que se casaram numa noite dourada de alegria, cheia de luzinhas roxas de paixão.
Um ano depois, numa madrugada de cheiros cor-de-rosa, ela teve uma filhinha. E nunca ela tinha sentido um carinho tão verde em toda sua vida.
A filha da menina, que cresceu, herdou a vontade violeta de espirrar do pai e, da mãe, o desejo prateado.
A dor azul nunca mais apareceu.
E a menina, que já era uma mulher, descobriu que o nome da dor azul, como está no dicionário, é desassossego.
E que esse desassossego queria dizer, mais ou menos, em palavras de adulto:

"Como será que vai ser minha vida daqui par frente!?"